quarta-feira, 29 de abril de 2009

Jesus Cristo x Thomas Hobbes

Premissa 1:

Jesus disse: “Ond
e dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, ali eu estarei.”
Mt 18, 20.

Premissa 2:
Hobbes disse: “Onde dois ou mais estiverem reunidos, a competição, a desconfiança e a glória ali estarão.”
Leviatã, Cap. XIII
Conclusão:

Onde dois ou mais estiverem reunidos em nome de Jesus, a competição, a desconfiança e a glória ali estarão.

O silogismo é inválido. Mas o fanatismo é relevante.



7 comentários:

Meriene (Vinter Ulv) disse...

Engraçado a semelhança, so que há muito mais coisas que podem acontecer quando muitas pessoas estão juntas, nem sempre há glória, certo?

MONTEIRO TENORIO, Raphael. disse...

De acordo. A glória, nesse sentido, é a busca através da antecipação. Coisas de tempo de guerra (segundo Hobbes, sempre uma iminência). Na verdade, raramente há gloria [no sentido genuíno da palavra] quando sobrevêm a desconfiança e a competição. Há sim, muita desgraça e infortúnio.

Eis a passagem da Leviatã:

[...] De modo que na natureza do homem encontramos três causas principais de discórdia. Primeiro, a competição; segundo, a desconfiança; e terceiro, a glória.A primeira leva os homens a atacar os outros tendo em vista o lucro; a segunda, a segurança; e a terceira, a reputação. Os primeiros usam a violência para se tornarem senhores das pessoas, mulheres, filhos e rebanhos dos outros homens; os segundos, para defendê-las; e os terceiros por ninharias, como uma palavra, um sorriso, uma diferença de opinião, e qualquer outro sinal de desprezo, quer seja diretamente dirigido a suas pessoas, quer indiretamente a seus parentes, seus amigos, sua nação, sua profissão ou seu nome.

Rafael disse...

Logo, aonde dois ou mais estiverem reunidos em nome de Jesus haverá, inevitavelmente, a competição, a desconfiança e a glória.

O engraçado é que Jesus, mesmo tendo sofrido sozinho, não é muito adepto da solidão. Ele não deve ter gostado da experiência e deixou nas entrelinhas a necessidade de sempre dois ou mais carregarem juntos a cruz. Caso contrário, ele também estaria presente aonde apenas um estivesse meditando em nome dele.

Por outro lado, isso pode ser apenas uma questão de marketing dos apóstolos fundadores da Igreja, que viram a necessidade de agrupar sofredores em nome de uma causa (Igreja), evitando que eles ficassem ouvindo radiohead sozinhos em casa, enriquecendo outro setor da economia.

=P

João Paulo Pontes disse...

bicho... analogia rocheda.

mas discordo de ambos!

hauauahuahua!!!

Misturação disse...

A glória tem sido a busca de todo ser humano em todos os momentos e em qualquer situação. Até chegar a glória, o caminho é triste, doloroso, sacrificante. E mesmo depois de passar por tudo isso, as vezes não se obtem a tal.

bolchevick strauss disse...

A é B
C é D
A é D

Esse silogismo é invalido...

Zé du Leite disse...

E o amor pelas escolhas de cada uma ou dos dois.