quarta-feira, 3 de junho de 2009

Anedota filosófica

Baseado em fatos reais (e totalmente piada interna. Se você for estudante de filosofia entenderá instantaneamente):

Há poucos anos atrás estava o interlocutor que vos perturba numa aula de um renomado professor da Universidade Federal de ********* tratando de certos pensadores contemporâneos. Como é inevitável, falar dos antigos é regra. Num determinado momento a conversa vai bater láááá nos pré-socráticos, os famosos pensadores originários, quinhentos anos antes de papai do céu nascer. Papo vai, papo vem, arkhé... raízes... homeomerías... E Nietzsche já falou sobre, Hegel dissertou, Heidegger sabe tudo, é ousia em Aristóteles como conseqüência, ápeiron... átomo... mudança... permanência e todo o pacote dos originários estava flamejantemente à baila. Na verdade, quem nunca ouviu falar de Heráclito, né? Eis que um ser humano levanta uma das mãos e questiona decisivamente:

- Professor, por que os pré-socráticos só filosofavam por fragmentos?

O maestro em questão deu um leve tapa na testa e, sem falar nada, continuou as preleções. Pensei eu:

- Deve ser uma questão arqueológica, né?

;D~~~~